Novidades da Release

1.3.0.0

Data: junho/2022

Novas funcionalidades

  • Adicionada uma nova opção ao menu lateral esquerdo: Settings. Ela agrupa as novas telas System e Permissions.

    • A tela System permite a realização de configurações gerais no Sensedia Service Mesh.

    • A tela Permissions possibilita definir quais grupos de usuários poderão acessar cada mesh disponível no cluster.

  • O Sensedia Service Mesh agora oferece a possibilidade de manter um controle refinado das permissões dos usuários dentro do sistema. Com essa funcionalidade, os administradores podem definir a quais meshes cada grupo de usuários terá acesso, bem como quais ações poderá executar em cada funcionalidade do produto.

Melhorias

  • Ajuste no nome dos campos de duração mínima e máxima da tela Tracing para melhor indicar o fato de que esses filtros são aplicados aos spans, não aos traces.

  • Agora é possível especificar o percentual de espelhamento de tráfego em uma configuração de Shadow Traffic.

  • Correção de bugs.

Requisitos de atualização

Incluímos um novo microsserviço, mesh-adapter-keycloak, responsável por gerenciar as permissões de usuário da aplicação. Portanto, é necessário alterar algumas configurações no seguinte arquivo:

  • customer-files/sensedia-mesh/sensedia-mesh-keycloak-adp/values.yaml:

# -- Enable to install Sensedia Mesh Keycloak Adapter
enabled: false

# -- keycloak connection parameters
keycloak:
  # -- The base url for connecting to a Keycloak Admin API. It should contain the scheme, host and port, but not path. For example: https://keycloak.mydomain.com/
  baseUrl: "CHANGE_HERE"
  # -- Sensedia Service Mesh Client Id for authenticating when using Keycloak Admin Apis with the OAuth2 Client Credentials Protocol
  clientId: "CHANGE_HERE"
  # -- Sensedia Service Mesh Client Secret for authenticating when using Keycloak Admin Apis with the OAuth2 Client Credentials Protocol
  clientSecret: "CHANGE_HERE"
  # -- The Keycloak realm that Sensedia Mesh will authenticate to. All Sensedia Mesh client configuration and its users should belong to this realm
  realm: "CHANGE_HERE"

Para instalar o Keycloak Adapter, altere o valor do campo enabled para true. Caso não utilize o Keycloak, mantenha o valor desse campo como false.

Nesta versão houve também a inclusão do campo iam.adapter para indicar se o Keycloak será utilizado como o provedor de identidade. Essa configuração é especificada no seguinte arquivo:

  • customer-files/sensedia-mesh/sensedia-mesh-manager/values.yaml:

iam:
# -- Accepted values are: none or keycloak.
    adapter: keycloak
  • O valor padrão para o campo iam.adapter é none, indicando nenhum provedor de identidade.

  • No momento, o Sensedia Service Mesh suporta apenas o Keycloak para gerenciar as permissões.

1.2.0.0

Data: abril/2022

Novas funcionalidades

  • External Services: agora é possível configurar regras para habilitar o acesso dos serviços de um mesh a serviços externos a ele (como APIs na WEB, por exemplo). Consulte a documentação dessa funcionalidade aqui.

  • Documentation: agora é possível cadastrar no Sensedia Service Mesh a documentação das APIs (Swagger) que expõem os microsserviços. Essa funcionalidade conta com duas telas principais:

    • Aba "Documentation": permite cadastrar a documentação da API (Swagger) que expõe o microsserviço correspondente.

    • Tela "Documentation": centraliza e permite visualizar todas as documentações cadastradas no Sensedia Service Mesh.

Melhorias

  • Correção de bugs.

Dependências

  • MongoDB:
    A partir desta versão, o Sensedia Service Mesh requer uma instância do MongoDB para armazenar dados de aplicação. Leia como configurar uma conexão com o MongoDB aqui.

Requisitos de atualização

  • Veja como atualizar a versão do seu Sensedia Service Mesh aqui.

  • Certifique-se de possuir uma instância do MongoDB. Veja como configurá-la aqui.

Ao atualizar da 1.1.0.0, uma indisponibilidade é prevista até que os novos gateways passem a operar.

1.1.0.0

Data: fevereiro/2022

Novas funcionalidades

Incluímos uma nova aba de configuração na tela Services: Fault Tolerance. Nela, é possível definir regras de tolerância a falhas para serviços específicos e assim testar e garantir a resiliência da sua aplicação.

Nessa aba, você encontrará as seguintes funcionalidades:

  • Circuit Breaker: rejeite novas requisições quando os limites determinados forem atingidos ou remova temporariamente da conexão hosts que apresentem erros;

  • Request Timeout: estabeleça o tempo máximo de espera por uma resposta de um determinado serviço;

  • Fault Injection: teste a resiliência do seu sistema de microsserviços por meio da injeção controlada de falhas na rede;

  • Retry: configure políticas de retentativas de conexão a um serviço no caso de uma chamada falhar.

Melhorias

  • Reformulação da aba Traffic Management: agora, o roteamento do tráfego entre as versões de um serviço é realizado de acordo com dois tipos, Traffic Routing e Shadow Traffic.

  • Correção de bugs.

Thanks for your feedback!
EDIT
How useful was this article to you?